Centro quer formar 50 docentes de Português na RPC em 2015


20150121-21f
Chegar a cerca de 50 docentes este ano é a meta do Centro Pedagógico e Científico de Língua Portuguesa para as acções de formação que serão realizadas em várias cidades da China

O Centro Pedagógico e Científico de Língua Portuguesa, em Macau, promove em 2015, pela primeira vez, formação de professores de português em universidades chinesas, num “ano de viragem” em que se preparam também várias publicações e actividades inéditas, disse Carlos André, presidente do centro do Instituto Politécnico de Macau (IPM), em declarações à Lusa.

O centro, que sempre teve a vocação de formar professores de português, aposta agora na China Continental, contando chegar a cerca de 50 docentes em 2015, embora garantindo que os professores de Macau não serão esquecidos. “Vamos fazer acções de formação para professores de Português da Direcção de Serviços de Educação e Juventude, mas estamos a trabalhar sobretudo na China. Em Março começam as nossas formações em universidades chinesas”, disse o responsável, que em 2013 trocou a Universidade de Coimbra, onde dirigia a Faculdade de Letras, por Macau.

“Em Julho passado juntámos cá [em Macau] 20 professores de universidades chinesas mas agora vamos dar um passo muito significativo, vamos trabalhar nas universidades deles. Isso nunca tinha acontecido”, afirmou.

Carlos André salientou que “ensinar português como língua estrangeira hoje é uma aérea científica e pedagógica específica que exige investigação, preparação adequada e formação elevada ao nível do doutoramento”.

Como a maioria dos docentes de português não tem ainda esta valência científica, o centro, composto por especialistas nesta área, disponibiliza formações de curta duração para ajudar a ultrapassar problemas. “Eles queixam-se de dificuldades concretas. Como é que se trabalha a diferença estrutural entre o português e o chinês? Como é que se passa da oralidade para a escrita? Só pessoal especializado sabe responder”, defendeu.

Como já tinha avançado o JORNAL TRIBUNA DE MACAU, estas acções de formação vão juntar docentes chineses de diversas cidades: Cantão, Zhuhai, Hainão, Xangai, Hangzhou, Nanquim, Dalian, Xian e Tianjin. “São formações de curta duração, 12 a 15 horas. A nossa intenção é repeti-las. Este é um processo que não pára. Em 2015, seguramente que teremos entre seis e oito acções de formação em universidades chinesas que, no total, vão abranger mais de 50 docentes com formação universitária pós-licenciatura”, explicou.

Dependente unicamente dos recursos financeiros de Macau, o Centro Pedagógico e Científico de Língua Portuguesa prepara outras novidades para este ano, incluindo diversas publicações: um manual, um glossário de provérbios e expressões idiomáticas portuguesas em versão bilingue, um livro sobre literatura de Macau e sobre Macau, entre outros. Estão ainda agendados cursos de português para funcionários do IPM e formação para diplomatas chineses à espera de serem colocados em países lusófonos.

Carlos André disse não ter dúvidas que o ensino do português vai continuar a aumentar. “É bom que tenhamos consciência que há dez anos havia seis instituições de ensino superior na China onde se aprendia português. Hoje há 26. O interesse é crescente”.
JTM com Lusa

Mais Informações em:
http://jtm.com.mo/local/centro-quer-formar-50-docentes-de-portugues-na-rpc-em-2015/

Formar Portugal e o Mundo

Caminhamos a teu lado, Crescemos Contigo!

Untitledhttps://formarportugaleomundo.wordpress.com/formar-portugal-e-o-mundo/

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s